Turning Lives Around Through Environmental Regeneration, Fashion and the Arts
Environmental
Tropical rewilding in Brazil - Atlantic Forest - Serra da Beleza.

Agro-Reforestation Project in partnership with EMATER- RIO - official environmental agency for the state of Rio de Janeiro
Proposta de Zoneamento e planejamento de propriedade rural


Serra da Beleza prior to the recent devastating fire. Santo Adolfo lies in the Valley just one km from Serra da Beleza

Emater has established three areas for the reforestation project at Santo Adolfo .

The names of the trees that will be planted and their numbers are listed here.

The Google maps shows the following in different colours :
.The Marshes for the "banana prata" (silver banana) plantation
.The planting took place in the dry season.
.Tropical Orchard with fruit trees from Mata Atlantica

Land from the corridor of trees for the wildlife. It starts at the pasture and goes all the way to the corral .

This area was ploughed in the dry season.

Emater has placed the order for the trees for arrival in the rainy season (spring). It is here where the land is most fertile due to the presence of three sources of spring water (nascentes de água ).

Manioc was planted and is sprouting already.

Agro reforestation

Area on the pasture that lies on the left hand side of the entrance of the farm and goes up towards the existing Forest area on top of the mountain. The ultimate aim here is to replant the forest in stages until the two areas meet. Here is where we will have trails for future visitors to the farm with an educational aspect to the trees, wildlife and habitat.

We will start clearing the pasture after the completion of the tropical orchard project.
Cristina Eastwood. Fashion designer, humanitarian fighter, diplomat and cultural celebrity. Turning Lives around through Fashion and the Arts.
Proposta de zoneamento e planejamento de propriedade rural

Produtora Rural: Cristina Carneiro de Mendonça
Município: Valença-RJ
Distrito: Santa Isabel do Rio Preto
Técnico executor: Felipe Conceição Elias Fernandes

Introdução:

Foi realizada uma visita técnica a propriedade pelos técnicos Felipe Conceição e Nelson Pentagna para uma avaliação da propriedade, as áreas disponíveis, suas aptidões e a capacidade de mão de obra para os projetos propostos. Após uma conversa inicial foi realizada uma visita in loco a estas áreas, estas foram divididas em três, um sistema agroflorestal menos dinâmico, uma pomar agroflorestal e uma bananeiral.

Informações técnicas:

Roçada –

Deverá ser feito inicialmente uma roçada de toda a área para limpeza do terreno, reduzindo a mato competição com as mudas, facilitando as atividades de alinhamento, coveamento, adubação e plantio e coroamento. Todo o material residual resultado da roçada deverá ser aglomerado nas linhas e covas de plantio deixado uma cobertura seca nos entornos das mudas, evitando o crescimento de plantas daninhas que possam atrapalhar o desenvolvimento ideal das mudas.

- Alinhamento – O alinhamento será realizado com auxilio de uma vara de 10 metros e uma mangueira de nível, ou “pé de galinha”.

- Coveamento – As covas terão aproximadamente as dimensões de 30/30 cm, podendo ser abertas com cavadeira, enxadão e enxada como também com motocovedor. A terra no interior deverá ser destorroada evitando bolsões de ar no seu interior.

- Adubação – É recomendado que se faça uma adubação de fundo de cova com fosfato em rocha ou outro adubo fosfatado.

* OBS: O fosfato em rocha é um adubo natural e que se torna disponível mais lentamente para a planta, sendo recomendado para espécies de ciclo longo, porem ele é mais difícil de ser encontrado em nossa região. Em função disto só realizarei a quantificação de quanto adubo será colocado após a decisão de qual adubo será viável para o projeto.

- Plantio - As mudas serão transportadas e arranjadas nas linhas de plantio antecedendo o plantio e isto só poderá ser realizado quando existir uma previsão favorável a chuvas, para evitar que as mudas fiquem estorricando no sol. Deverá ser realizado um destorroamento do solo no interior do saquinho ou tubete para que se cause um rearranjamento do sistema radicular da planta, forçando-a a criar novas raízes e estabelecendo uma nova raiz pivotante, acelerando a adaptação da muda no novo ambiente.

- Coroamento – O coroamento consiste em uma capina circular ao entorno da base da muda, reduzindo assim a competição por nutrientes na cova e acelerando o crescimento da muda. Todo o material capinado deverá ser alojado novamente nos pés da muda em formato de ninho.

- Combate e Controle de Formigas e pragas - Após a roçada inicial deverá ser feito um monitoramento e marcação dos olheiros de formigas cortadeiras no local e no entorno do plantio. Diariamente deverão ser feitas incursões a estes olheiros com um formicida a base de fipronil (FORMILINE) e aplicado no carreiro próximo aos olheiros onde as formigas estão carregando material para dentro das panelas, este combate deverá ser realizado de forma mais severa no inicio do projeto com o intuito de reduzir drasticamente os formigueiros e de forma mais controlada após o primeiro ano, mas sempre realizando incursões na área implantada. A idéia é que o sistema se equilibre e que se transforme em um ambiente propício para a vida dos inimigos naturais das formigas e assim o próprio sistema se controle.

Zoneamento



Área 1 –(cor amarela)

SISTEMA AGROFLORESTAL. Fica localizado próximo a entrada da propriedade e possui uma declividade moderada. O local já tem uma regeneração natural em estagio inicial, porem, a resiliência observada é muito forte em função da proximidade de um grande maciço florestal, existência de água de superfície e também pela baixa pressão de pisoteio animal. Para esta área propomos um sistema agroflorestal pouco dinâmico, ou seja, que não demande muita mão de obra. São recomendadas espécies anuais e perenes e árvores clímax com o intuito de realizar um enriquecimento genético ao maciço florestal. As espécies serão divididas em plantas frutíferas, madeireiras, adubadeiras e fornecedoras de outros materiais, como sementes, resinas, palhas e outros.

Área: 2,32 há

- Espaçamento – O espaçamento é uma medida que se determina entre linhas e entre covas, iremos utilizar o de 10 X 10 metros. Entre as linhas de árvores vamos intercalar linhas de banana prata e nanica com espaçamento também de 10 x 10 metros. Nas linhas de arvores vamos alternar espécies de crescimento rápido, médio e tardio, espécies de produção rápida e outras de longo prazo. Sempre tendo o cuidado de aproximar as espécies exportadoras de nutrientes (adubadeiras) com as importadoras (produtivas).

Cronograma




Lista de espécies recomendadas

 

Nome Vulgar

Nome científico

Quantidade

Jequitibá-Rosa

Carinianalegalis

10

Jequitibá Branco

Cariniannaestrellensis

5

Jussara

Euterpe edulis

50 kg (sementes)

Banana

Musa SP.

200

Pitanga

Eugenia uniflora

20

Grumixama-preta

Eugenia brasiliensis

10

Goiaba

Psidiumguajava

10

Abiu

Pouteria torta

10

Aroeira-pimenteira

SchinusterebinthifoliusRaddi

20

Cabeludinha

Myirciariaglazioviania

10

Cacau

Theobromacacao

10

Cambucá

Pliniaedulis

15

Cedro-rosa

CedrellafissilisVell.

10

Guapuruvu

Esquisolóbium Paraiba

30

Pau Jacaré

Piptadenia gonoacantha

40

Pau-brasil

Paubrasiliaechinata

10

 

 

Orçamento

 

 

 

 

Área 2 -(cor laranja) BANANEIRAL. Fica localizada próxima a um brejo, por isso se caracteriza por um solo com enxarcamento moderado, o que poderá ser um aliado na implantação do bananeiral, porém deverão ser feitos alguns micro drenos na abertura das covas para que estas não se tornem locais de armazenamento excessivo de água. O espaçamento entre mudas deverá ser de 5 x 5 metros entre linhas totalizando 160 mudas de banana. O tipo de Banana recomendado para o plantio é a banana prata, visto o seu potencial comercial e alguma variedade que possua resistências a patógenos.

Área: 0,4ha

Cronograma





Orçamento







Área 3 – (cor vermelha) POMAR AGROFLORESTAL. É uma baixada localizada acima do curral, uma zona de importação de nutrientes da Microbacia hidrográfica possuindo uma fertilidade alta do solo em comparação á outras áreas. A vegetação atual é característica do estagio inicial de regeneração inicial, porem, a presença mais constante do gado não possibilita que a sucessão florestal se estabeleça. A presença da gramínea Sapê pode ser um indicativo de acidez do solo o que demandará calagem para corrigir a acidez do solo, (não foi feito nenhuma análise do solo para fins de calculo de quantidade de calcário). Neste local é indicado um POMAR AGROFLORESTAL, com espécies frutíferas anuais e cultivares de ciclo rápido. Este sistema demanda uma maior dinâmica, com freqüentes roçadas para evitar a matocompetição e produzir a cobertura morta sobre o solo, reduzindo a ação de agentes erosivos que retiram a umidade do sistema, podas regulares nas árvores frutíferas e nas espécies adubadeiras para evitar o excesso de sombreamento nos indivíduos em produção ou em floração, sendo assim, e a incorporação de nutrientes constantemente ao solo, realizando a ciclagem e tornando este sistema mais sustentável. O espaçamento será variável entre as espécies.

Área: 0,66 há

Cronograma

 

 

 

 

Lista de espécies recomendadas

 

Nome Vulgar

Nome científico

Quantidade

Jussara

Euterpe edulis

10 kg (sementes)

Banana

Musa SP.

20

Pitanga

Eugenia uniflora

5

Grumixama-preta

Eugenia brasiliensis

2

Goiaba

Psidiumguajava

10

Aroeira-pimenteira

SchinusterebinthifoliusRaddi

20

Cabeludinha

Myirciariaglazioviania

2

Cacau

Theobromacacao

5

Citrus

 

10

Guapuruvu

Esquisolóbium Paraiba

10

Jerivá

Syagrus romanzoffiana

10

 

Orçamento